São Paulo: 4.571 Crianças e Adolescentes em "situação de rua" : confira a Pesquisa Censitária Nacional



Descrição
Levantada em 75 municípios do paí­s, a Pesquisa Censitária Nacional sobre Crianças e Adolescentes em Situação de Rua gerou um amplo banco de dados sobre estas crianças e adolescentes e a realidade na qual estão inseridos. O objetivo geral que norteou a pesquisa foi o de obter informações que permitam caracterizar as crianças e adolescentes em situação de rua, com o intuito de subsidiar os processos de formulação, monitoramento e avaliação da política de promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente.

Descrição de envolvimento
No caso da Pesquisa Censitária Nacional, as Crianças e Adolescentes em Situação de Rua foram o público-alvo do estudo realizado, sendo eles mesmos os objetos do estudo. Mais do que um envolvimento, o conhecimento aprofundado sobre as crianças e adolescentes em situação de rua no país, foi o objetivo central de toda esta iniciativa, buscando gerar a visualização de um contexto mais amplo sobre esta população, promovendo o acesso a estes dados, tanto para a esfera governamental, como para a sociedade civil organizada, a academia, a iniciativa privada e a sociedade em geral.

Descrição de integração
A Pesquisa Censitária Nacional envolveu um grande número de instituições, públicas e privadas, que formam uma rede nacional de atendimento a crianças e adolescentes em situação de rua. Mobilizou também um grande contingente de pessoas que ajudaram a construir as informações obtidas. A Pesquisa teve a função de construir um banco de dados, para que, a partir destas informações, pudesse ser elaborada uma política pública abrangente, eficiente e eficaz, voltada para a Criança e o Adolescente em Situação de Rua, que poderá ser implementada nas esferas locais, estaduais e nacionais, tanto pelas instituições da sociedade civil que atuam junto a este público, bem como pelos programas governamentais que possuem foco de atuação nesta população. Por meio dos dados obtidos, poderão ser traçadas as diretrizes básicas e os planos de ação destinados a esta população, identificada e caracterizada através desta pesquisa inédita no País. Dando seguimento a utilização das informações, será realizado em 2011, uma série de cinco seminários regionais, nos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Bahia e Pará e no Distrito Federal, com o intuito de disseminar os resultados obtidos entre os representantes da sociedade civil, agentes públicos e iniciativa privada. A ideia é que, a partir dos dados, possam elaborar polí­ticas públicas e programas governamentais capazes encontrar alternativas viáveis para tratar o tema de forma eficiente e sistemática.

Descrição de resultados
A pesquisa identificou, nas 75 cidades investigadas, 23.973 crianças e adolescentes em situação de rua. A partir destes dados, foi produzido um relatório abrangente sobre a conceituação de termos, contextualização, descrição da metodologia utilizada, abordagem, caracterização sociodemográficas e econômicas, entre outras questões trabalhadas. Além dos dados metodológicos e estatísticos trabalhados, a pesquisa resultou num mapa da realidade nacional, em que foram abordados temas como local onde crianças e adolescentes costumam dormir, tempo de permanência na rua e motivos para dormirem e trabalharem em espaços de rua, entre outros. O conhecimento obtido a partir da pesquisa trará desdobramentos relevantes para o trato com essa população por parte de gestores públicos e atores interessados no tema.

Justificativa
A permanência de crianças e adolescente em situação de rua vem sendo observada ao longo das últimas décadas nas áreas metropolitanas das grandes cidades brasileiras. Em que pese a sua longa duração como fenômeno social que chama atenção nacional e internacional, ainda não houve a quantificaçã e caracterização das crianças e adolescentes que vivem nas ruas das cidades brasileiras. . O grande desafio encontrado na proposição de políticas públicas abrangentes e inclusivas é o desconhecimento da quantidade, localidade, formas de acesso e atração destas crianças e adolescentes em situação de rua, o que demontra a relevância do projeto inédito e inovador tanto em sua concepção, como em sua efetivação, estrutura, abordagem e resultados.

Comentários

  1. Pe. Lédio Milanez, rcj23/3/11

    Triste a nação que não cuida de suas crianças e adolescentes.
    Os dados do estado de São Paulo, o mais rico da federação, mostra como os discursos não se concretizam em ação de direitos e defesa da cidadania.
    É possível transformar esta realidade! Devemos transformar esta realidade!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentario

Postagens mais visitadas deste blog

PREFEITO ANUNCIA PRORROGAÇÃO DA ANUALIDADE E OUTRAS MEDIDAS EM REUNIÃO COM O FAS

PUBLICADO PORTARIA 01/SMADS/2020 QUE TRATA DOS REAJUSTES DOS CONVÊNIOS

PREFEITURA ANUNCIA REAJUSTE DOS CONVÊNIOS EM 3,7% RETROATIVO A JANEIRO DE 2020