Total de moradores de rua cresce 57% em SP, diz Fipe

01 de junho de 2010
Agência Estado

O total de pessoas vivendo em situação de rua na cidade de São Paulo supera o número de habitantes de mais da metade dos 645 municípios paulistas. Moram nas ruas da cidade ou dormem em albergues municipais 13.666 pessoas, população maior do que a de 328 municípios. Nos últimos dez anos, o total de pessoas que vivem em situação de rua em São Paulo cresceu 57%.
Os dados do censo da população de rua de São Paulo, feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), foram divulgados ontem pela Secretaria Municipal de Assistência Social, que contratou a pesquisa. O trabalho de campo foi feito entre novembro e dezembro de 2009.
Entre aqueles que estão em situação de rua, 7.079 pessoas (51,8%) dormem em albergues municipais, enquanto 6.587 (48,2%) vivem ao relento nas ruas da cidade. Em 2000, o total de pessoas que viviam em situação de rua era de 8.706. Proporcionalmente, havia menos pessoas em situação de rua vivendo em albergues: 45,7%.
Atualmente, existem 8.200 vagas em 41 albergues. A Prefeitura pretende abrir 1.200 vagas até o fim do ano. Para a secretária de Assistência Social, Alda Marco Antônio, a pesquisa mostra a necessidade de criar políticas pré e pós-albergues.
"Não faltam vagas em albergues. O que precisamos é conseguir levar essas pessoas para os albergues, o que fazemos por meio das tendas, equipamentos diurnos que aumentam o contato de educadores com moradores de rua. Depois de albergados, vamos incentivar repúblicas de moradores de rua, casas alugadas que estimulam a autonomia dessas pessoas." Existem atualmente duas tendas e a Prefeitura promete mais cinco até o fim do ano. Vivem em sete repúblicas 140 pessoas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

URGENTE! PUBLICADO A SENTENÇA ARBITRAL DO DISSÍDIO COLETIVO DA CATEGORIA!

Legislação Participativa debate direito à assistência social e financiamento do setor

PREFEITO ANUNCIA PRORROGAÇÃO DA ANUALIDADE E OUTRAS MEDIDAS EM REUNIÃO COM O FAS