Morador de rua dorme perto de abrigo sem vaga

23/05/2010
William Cardoso
do Agora

Moradores de rua têm encontrado as portas fechadas quando buscam refúgio em albergues públicos da capital. A falta de vagas, apontada como justificativa por funcionários das instituições, leva os que procuram abrigo a dormir na rua, perto dos próprios locais onde deveriam ser acolhidos, na esperança de conseguirem uma vaga.
Secretaria vai apurar problema
Cerca de 14 mil pessoas vivem nas ruas da capital. Parte delas fica sem lugar para dormir, como presenciou o Agora entre quinta-feira e anteontem em quatro abrigos lotados no centro (Lar Lygia Jardim, Oficina Boraceia, Arsenal da Esperança e São Camilo 1). As baixas temperaturas da última semana pioraram a situação.
Na quinta-feira à tarde, formou-se uma fila em frente ao Lar Lygia Jardim, na Bela Vista. Desempregado, João Avelar dos Reis, 40 anos, contou que buscava vaga pelo quinto dia seguido, sem sucesso. No Oficina Boraceia, no Bom Retiro, dez moradores de rua se aglomeravam em frente ao prédio na noite de quinta-feira, sem conseguir entrar. "As pessoas já desistiram. Não têm vagas", disse Admilson Graciano, 40.

Fonte: http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/ult10103u739413.shtml

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

URGENTE! PUBLICADO A SENTENÇA ARBITRAL DO DISSÍDIO COLETIVO DA CATEGORIA!

Legislação Participativa debate direito à assistência social e financiamento do setor

PREFEITO ANUNCIA PRORROGAÇÃO DA ANUALIDADE E OUTRAS MEDIDAS EM REUNIÃO COM O FAS